quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

"Oferenda" - Yeda Prates Bernis


Oferenda

Se eu pudesse fazer um poema
meigo como a brisa das manhãs,
doce como pássaro submisso,
lírico como a flor que desabrocha,
se eu pudesse fazer um poema
onde as palavras perdessem seu sentido
e se transformassem em etéreas formas
em música suave
ou em volátil perfume
que inebriasse,
levar-te-ia, amor,
em oferenda,
este mágico poema.

Yeda Prates Bernis

2 comentários:

Cida 28 de janeiro de 2016 18:04  

Que boniteza!!!! Ternura pura...

MHelena 29 de janeiro de 2016 06:31  

Lindo de morrer...

  © Blogger template 'Solitude' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP