domingo, 3 de abril de 2016

"Deriva" - Sophia de Mello Breyner Andresen


Deriva
VIII


Vi as águas os cabos vi as ilhas
E o longo baloiçar dos coqueirais
Vi lagunas azuis como safiras
Rápidas aves furtivos animais
Vi prodígios espantos maravilhas
Vi homens nus bailando nos areais
E ouvi o fundo som das suas falas


Sophia de Mello Breyner Andresen

1 comentários:

Maria 3 de abril de 2016 18:05  



Sophia Anderson com um poema onde a nostalgia de África num misto

de solidariedade por aqueles seres humanos cruelmente rejeitados

por um sistema politico que lhes roubou a dignidade humana .

Maria Sá Pires

  © Blogger template 'Solitude' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP