terça-feira, 19 de novembro de 2019

"O Poço" - Pablo Neruda

Resultado de imagem para "O Poço" - Pablo Neruda


O Poço

Cais, às vezes, afundas
em teu fosso de silêncio,
em teu abismo de orgulhosa cólera,
e mal consegues
voltar, trazendo restos
do que achaste
pelas profunduras da tua existência.

Meu amor, o que encontras
em teu poço fechado?
Algas, pântanos, rochas?
O que vês, de olhos cegos,
rancorosa e ferida?

Não acharás, amor,
no poço em que cais
o que na altura guardo para ti:
um ramo de jasmins todo orvalhado,
um beijo mais profundo que esse abismo.

Não me temas, não caias
de novo em teu rancor.
Sacode a minha palavra que te veio ferir
e deixa que ela voe pela janela aberta.
Ela voltará a ferir-me
sem que tu a dirijas,
porque foi carregada com um instante duro
e esse instante será desarmado em meu peito.

Radiosa me sorri
se minha boca fere.
Não sou um pastor doce
como em contos de fadas,
mas um lenhador que comparte contigo
terras, vento e espinhos das montanhas.

Dá-me amor, me sorri
e me ajuda a ser bom.
Não te firas em mim, seria inútil,
não me firas a mim porque te feres.


Pablo Neruda

Fake news a R$ 25 mil por mês: como o Google treinou e enriqueceu blogueiros antipetistas


Um grupo de seis blogueiros políticos se reuniu na sede do Google Brasil no Itaim Bibi, bairro nobre de São Paulo, em julho de 2016. Convidados pela empresa, a maioria saiu de Minas Gerais para receber orientações sobre como aumentar seus ganhos com o AdSense, o programa do Google de ‘aluguel’ de publicidade em sites. No encontro, um funcionário da empresa teria aberto uma planilha com um case de sucesso para inspirá-los: o site de direita O Antagonista, que receberia milhares de dólares por dia com anúncios.
Em seguida, os blogueiros receberam dicas de otimização e sugestões de temas que renderiam mais dinheiro no AdSense. Embora o Google não tenha sido explícito a esse respeito, o grupo saiu de lá certo de que uma agenda contra o PT e a presidente da República, Dilma Rousseff, era o caminho para ganhar muito dinheiro. Funcionou. Em agosto de 2016, mês seguinte ao encontro, derradeiro para o impeachment, o faturamento de um dos blogs passou de R$ 25 mil. 
Para ler o texto de  e  clique aqui
Leia ""A Lava Jato é uma máquina de construção de narrativas", diz editor do Intercept, Leandro Demori" clicando aqui
Leia "PECs de Bolsonaro colocam em risco ampliação de redes educacionaisde Ana Luiza Basilio clicando aqui
Leia "Carteira Verde e Amarela: 12 pontos perversosde Camila Maciel clicando aqui
Leia "Para pensar a Amazônia após o pesadelode Antonio Martins clicando aqui
Leia "Guarani de 28 anos é morto a pauladas e pedradas no Paranáde Priscilla Arroyo clicando aqui
Leia "Euclides da Cunha, Kafka, Morrison, Conrad e Balzac: a literatura para pensar o Brasil" Entrevista com Kelvin Falcão Klein clicando aqui

"Há mesmo quem queira um Tiananmen 2.0" em Hong Kong

Resultado de imagem para "Há mesmo quem queira um Tiananmen 2.0" em Hong Kong

A China está a ver desafiada a sua legitimidade e o princípio “um país, dois sistemas”. É muito difícil prever a sua resposta, diz o investigador Ferran Pérez-Mena, da Universidade de Sussex. 
Para ler sua entrevista clique aqui

Leia "Entre os EUA e a Turquia uma troca às custas dos curdos" Entrevista com Gilles Kepel clicando aqui

Leia "EUA: Os campos de detenção da Era Trump" de Marianna Braghini clicando aqui

Leia "América Latina: um pêndulo entre ditaduras e primaveras democráticas esmagadas" de Carolina Vásquez Araya clicando aqui

Leia "Centenas de milhares de pessoas marcham, em La Paz, para pedir saída de Janine Áñez" de Leonardo Wexell Severo clicando aqui

Charlie Puth - "One Call Away"

Resultado de imagem para Charlie Puth - One Call Away [Official Video]

Para assistir à interpretação de "One Call Away" na voz de Charlie Puth clique aqui

Parasita: o cheiro ao redor


Há algo comum a filmes como BacurauCoringa e Parasita. O que seus autores já sabem e o resto das populações ainda não? A vida-mercadoria, cada vez mais insuportável, estará conjurando um movimento mundial de resistência? 
Para ler o texto de Celso Sabadin clique aqui


Pólvora e melancolia

 

Junto ao peso taciturno dessa história contada por um velho decrépito que sofre com o desamor da filha, 'O Irlandês' tem também um humor de tintas patéticas. Para ler o texto de Carlos Alberto Mattos clique aqui




Silvia Federici: "Quero outra sociedade"

"Quero outra sociedade. Não quero falar apenas do que rejeito, mas também do que espero que se realize. Me interessa sempre construir", diz Silvia Federici

A italiana Silvia Federici fala sobre a relação entre feminismo e anticapitalismo, desvalorização do trabalho doméstico e caça às bruxas. 
Para ler sua entrevista clique aqui

Leia "Entenda a disputa e as alianças da direita pelo poder no imperialismo do século 21" de Yasmin Bárbara Vásquez Ortiz clicando aqui

Leia "Ideias de Karl Polanyi para uma Frente Ampla Progressista" de Fernando Nogueira da Costa clicando aqui

Leia "Radicalidade neoliberal: golpes, autoritarismo e destruição da soberania nacional" de José Raimundo Trindade clicando aqui

Leia "A mentalidade da guerra se tornou uma forma habitual de organizar a sociedade" Entrevista com William Davies clicando aqui

Leia "Manchester 2080: a utopia é realidade" de Paul Mason clicando aqui

Leia "As coisas que os avós fazem melhor do que os pais" de Inma Puig clicando aqui

Morreu José Mário Branco, um dos nomes maiores da canção portuguesa

Resultado de imagem para Morreu José Mário Branco, um dos nomes maiores da canção portuguesa

É enorme. É um dos artistas mais importantes da música portuguesa do século XX e do século XXI”, diz Camané ao PÚBLICO. “Um homem da revolução”, recorda José Fanha. O músico tinha 77 anos. 
Para ler o texto de Joana Amaral Cardoso, Lucinda Canelas e Maria Paula Barreiros clique aqui

Grândola, vila morena: como um erro tecnológico determinou o futuro histórico de uma canção

Resultado de imagem para Grândola, vila morena: como um erro tecnológico determinou o futuro histórico de uma canção 

Testemunho de José Mário Branco publicado no Observatório da Canção de Protesto sobre como foi gravado o som dos passos numa das mais emblemáticas canções portuguesas. O texto acompanhou Grândola, vila morena – Para sempre, José Afonso, CD-livro editado pelo município de Grândola em Outubro de 2018. 
Para ler o texto clique aqui

  © Blogger template 'Solitude' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP