segunda-feira, 6 de julho de 2020

"To Helena" - Ruy Belo

876 Melhores Ideias de PRETO E BRANCO | Preto e branco, Preto ...


To Helena

Acabo de inventar um novo advérbio: helenamente
A maneira mais triste de se estar contente
a de estar mais sozinho em meio de mais gente
de mais tarde saber alguma coisa antecipadamente
Emotiva atitude de quem age friamente
inalterável forma de se ser sempre diferente
maneira mais complexa de viver mais simplesmente
de ser-se o mesmo sempre e ser surpreendente
de estar num sítio tanto mais se mais ausente
e mais ausente estar se mais presente
de mais perto se estar se mais distante
de sentir mais o frio em tempo quente
O modo mais saudável de se estar doente
de se ser verdadeiro e revelar-se que se mente
de mentir muito verdadeiramente
de dizer a verdade falsamente
de se mostrar profundo superficialmente
de ser-se o mais real sendo aparente
de menos agredir mais agressivamente
de ser-se singular se mais corrente
e mais contraditório quanto mais coerente
A via enviesada para ir-se em frente
a treda atuação de quem atua lealmente
e é tão impassível como comovente
O modo mais precário de ser mais permanente
de tentar tanto mais quanto menos se tente
de ser pacífico e ao mesmo tempo combatente
de estar mais no passado se mais no presente
de não se ter ninguém e ter em cada homem um parente
de ser tão insensível como quem mais sente
de melhor se curvar se altivamente
de perder a cabeça mas serenamente
de tudo perdoar e todos justiçar dente por dente
de tanto desistir e de ser tão constante
de articular melhor sendo menos fluente
e fazer maior mal quando se está mais inocente
É sob aspecto frágil revelar-se resistente
é para interessar-se ser indiferente
Quando helena recusa é que consente
se tão pouco perdoa é por ser indulgente
baixa os olhos se quer ser insolente
Ninguém é tão inconscientemente consciente
tão inconsequentemente consequente
Se em tantos dons abunda é por ser indigente
e só convence assim por não ser muito convincente
e melhor fundamenta o mais insubsistente
Acabo de inventar um novo advérbio: helenamente
O mar a terra o fumo a pedra simultaneamente.

Ruy Belo

Bolsonaro só não cai porque a direita não tem substituto

Bolsonaro e Mourão participam de cerimônia em Brasília 28/03/2019

"Enquanto isso, o Brasil vai sendo tragado pela inércia administrativa, pela recessão econômica e pela mortandade provocada pela Covid-19", escreve Leandro Fortes, do Jornalistas pela Democracia. 
Para ler seu texto clique aqui

Leia "Lindbergh Farias: "Sem confronto, não nos livraremos da Casa-Grande" clicando aqui

Leia "A pandemia embaralhou as peças do tabuleiro. Mas a estrutura do tabuleiro segue a mesma. Seremos capazes de alterá-la?" Entrevista com Roberto Andrés clicando aqui

Leia "Em 2019, procurador dos EUA revelou relacionamento clandestino e ilícito com Lava Jatode Jeferson Miola clicando aqui

Leia "Como nosso petróleo atiçou a cobiça dos EUAde José Álvaro de Lima Cardoso clicando aqui

Leia "A pandemia já tem nítido caráter de classede Marina Harriz clicando aqui

Leia "A liberdade de expressãode Alexandre Aragão de Albuquerque clicando aqui

Leia "A guinada para o realismode Francisco Afonso Pereira Torres clicando aqui

Leia "O fim não é o limitede Jorge Luiz Souto Maior clicando aqui

Leia "Do passe ao breque: disputas sobre os fluxos no espaço urbanode Isadora Guerreiro e Leonardo Cordeiro clicando aqui

Leia "Nilma Lino Gomes: "Racismo e novo coronavírus: armas mortíferas no Brasil" clicando aqui

Leia "Medo da violência e adesão ao autoritarismo no Brasil: proposta metodológica e resultados em 2017de Renato Sérgio de Lima, Paulo de Martino Jannuzzi, James F. Moura Junior e Damião S. de Almeida Segundo clicando aqui

Em nome do amor


Faça o que você ama” é o mantra do trabalhador atual. Por que deveríamos reivindicar nossos interesses de classe se, de acordo com as elites do FOQVA (Faça O Que Você Ama) como Steve Jobs, não existe essa coisa de trabalho? 
Para ler o texto de Miya Tokumitsu clique aqui

Leia "Por que é necessário falar de "gênero"" de Michella Marzano clicando aqui

Leia "A intersecção entre arte e ciência" de Daniel Brazil clicando aqui

Leia "Por uma moratória no Reconhecimento Facial" de Malkia Devich-Cyril clicando aqui

Leia "Cancelamento do diálogo põe democracia em risco" de Alana Rizzo e Clara Becker clicando aqui

Leia "Classe média, o ator perdido. O socialismo liberal na crise da democracia" de Masimo Cacciari clicando aqui

Leia "Preparados para o mundo pós-petróleo?" de Nafeez Ahmed clicando aqui

Leia "A Cadeia dos Lutos" de Christian Dunker clicando aqui

Leia "A marcha dos mercados não é nada aleatória, é cadenciada pelos anúncios dos bancos centrais" de Jézabel Couppey-Soubeyran clicando aqui

Leia "Escaramuça China-Índia: parte da luta entre a força marítima e a terrestre" de Inderjeet Parmar e Atul Bhardwaj clicando aqui

Leia "Cuba controla pandemia e dá olé no Brasil" de Aydano André Motta clicando aqui

Leia "Por que a América Latina é o epicentro da pandemia?" de Raúl Zibechi clicando aqui

Leia "Prioridades para a Economia no COVID-19" de Joseph E. Stiglitz clicando aqui

Leia "O mundo-cão à espera de Adú" de Léa Maria Aarão Reis clicando aqui

Leia "O documentário como arma política" de Walnice Nogueira Galvão clicando aqui

Ricardo Ribeiro: “Canto Franciscano”

Ricardo Ribeiro “Canto Franciscano” - YouTube

Para assistir à interpretação de “Canto Franciscano” na voz do fadista Ricardo Ribeiro clique no vídeo aqui

O que diz a 'escandalosa' mensagem que o astrônomo Carl Sagan enviou aos extraterrestres

Cada uma das linhas que irradiam do centro indica a direção e a distância de um pulsar em relação ao Sol - Getty Images - Getty Images
Carl Sagan - Canaltech

Placa Pioneer, enviada ao espaço em 1972, foi criada para informar extraterrestres sobre dados fundamentais da Terra e de seus habitantes. 
Para ler o texto completo clique aqui

Ennio Morricone nos fez ver pelo som


Falecido ontem, artista musicou mais de 500 filmes — de Sergio Leone a Tarantino. Foi sublime, dos faroestes ao cinema político. Suas trilhas, tão essenciais à narrativa quanto as imagens, mostram o poder da arte em produzir novos mundos. 
Para ler o texto de Alceu Castilho clique aqui



Compositor Ennio Morricone morre aos 91 anos

Italiano, autor de trilhas sonoras marcantes do cinema, como as de ‘Três homens em conflito’, ‘A missão’ e ‘Cinema paradiso’, era considerado um dos melhores da história no seu ofício. 
Para ler o texto de Daniel Verdú clique aqui




Moçambique - A bárbara agressão a Josina Machel: posicionamento sobre o Acórdão do Tribunal de Recurso

Posicionamento sobre o acórdão do Tribunal de Recurso

Para melhor entender a bárbara agressão a Josina Machel e o posicionamento sobre o Acórdão do Tribunal de Recurso de Moçambique leia o texto completo clicando aqui

  © Blogger template 'Solitude' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP