terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Os partidos políticos ainda servem para manter a democracia?

Um manifestante lança objetos em direção a um veículo blindado durante um protesto em Santiago do Chile.

Será que os partidos tradicionais, em vez de serem meras correias de transmissão das necessidades e desejos das pessoas, se transformaram em donos e senhores dos mesmos? 
Para ler o texto de Juan Arias clique aqui

Leia "Monedero: Grandes utopias do século 20 já não dizem nada, lemas da esquerda já não servem" clicando aqui

Leia ""No society", defesa da sociedade ocidental" de Christophe Guilluy clicando aqui

Leia "A necessidade de instituições está de volta" de Roberto Esposito clicando aqui

Leia "Não deveríamos nos surpreender quando frustrações da infância se tornam violência" de Carolina Vásquez Araya clicando aqui

Leia "Teoria monetária do enfrentamento com a barbárie: Bernie e Ocasio-Cortez - Um debate sobre a concepção de Partido" de Tarso Genro clicando aqui

Leia "Mídia: a descarada sabotagem a Bernie Sanders" de Glauco Faria clicando aqui

Leia "EUA e Israel querem petróleo da Palestina; riqueza tem que ser do povo palestino" de Mariane Barbosa clicando aqui

Leia "O novo velho continente e suas contradições: A greve como forma de luta" de Celso Japiassu clicando aqui

Leia "Carta de Paris: Americanização da política francesa?" de Leneide Duarte-Plon clicando aqui

Leia "Pensamento descolonial e práticas acadêmicas dissidentes" clicando aqui

Luka Sulic - "Bohemian Rhapsody"

Resultado de imagem para Luka Sulic - Bohemian Rhapsody (Queen)

Para assistir à interpretação de "Bohemian Rhapsody" por Luca Sulic clique no vídeo aqui

Atenção, os algoritmos começam a nos controlar

Resultado de imagem para Atenção, os algoritmos começam a nos controlar

Andrés Moya (Valência, 1956) encarna a figura do cientista humanista que a Antiguidade e o Renascimento idealizaram. Doutor em filosofia e biologia, professor de genética na Universidade de Valência, ativo divulgador em publicações, palestras e conferências. Conversamos com ele a respeito da tensão entre ecoutópicos e tecnoutópicos que disputam o futuro. Suas respostas retiram a inquietação sobre para onde caminha a Humanidade. Pede para que abramos os olhos, que exijamos responsabilidades políticas que coloquem limites às grandes corporações tecnológicas: “Temos uma dependência crescente dos algoritmos. Isso conta com um enorme perigo, porque você não os controla, no fundo, eles controlam você”. 
Para ler sua entrevista clique aqui

Os direitos não obrigam a nada, a sua ausência é que nos limita!

Resultado de imagem para descriminalização da morte assistida

Defender a descriminalização da morte assistida é defender a vida e defender que se respeitem as escolhas de cada ser humano. 
Para ler o texto de Elza Pais clique aqui

Os últimos escritos econômicos de Karl Marx


"Em tempos de hegemonia neoliberal, retomar sobre bases sólidas os fundamentos da crítica da economia política do autor de 'O capital' é tarefa urgente." 
Para ler o texto de Edmilson Costa clique aqui

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

"Sátira aos homens quando estão com gripe" - António Lobo Antunes

Resultado de imagem para "Sátira aos homens quando estão com gripe" - António Lobo Antunes


Sátira aos homens quando estão com gripe

Pachos na testa, terço na mão,
Uma botija, chá de limão,
Zaragatoas, vinho com mel,
Três aspirinas, creme na pele
Grito de medo, chamo a mulher.
Ai Lurdes que vou morrer.
Mede-me a febre, olha-me a goela,
Cala os miúdos, fecha a janela,
Não quero canja, nem a salada,
Ai Lurdes, Lurdes, não vales nada.
Se tu sonhasses como me sinto,
Já vejo a morte nunca te minto,
Já vejo o inferno, chamas, diabos,
anjos estranhos, cornos e rabos,
Vejo demônios nas suas danças
Tigres sem listras, bodes sem tranças
Choros de coruja, risos de grilo
Ai Lurdes, Lurdes fica comigo
Não é o pingo de uma torneira,
Põe-me a Santinha à cabeceira,
Compõe-me a colcha,
Fala ao prior,
Pousa o Jesus no cobertor.
Chama o Doutor, passa a chamada,
Ai Lurdes, Lurdes nem dás por nada.
Faz-me tisana e pão de ló,
Não te levantes que fico só,
Aqui sozinho a apodrecer,
Ai Lurdes, Lurdes que vou morrer.

António Lobo Antunes

Bolsonaro quer acabar com sentido crítico. Vivemos uma guerra cultural, diz Nabil Bonduki


O pré-candidato à Prefeitura de São Paulo lembra que o atual governo brasileiro vem trabalhando em um projeto contra a imprensa livre e independente. 
Para ler o texto de Mariane Barbosa clique aqui

Leia "Não é a primeira vez que profetizam nosso fim; enterramos os profetas", diz Ailton Krenak clicando aqui

Leia "Como a grana da China desaloja pobres no Maranhão - com o aval de Flávio Dino" de Sabrina Felipe clicando aqui

Leia "Sentenças de Sergio Moro na Lava Jato foram mais rápidas antes do impeachment de Dilma" de Naira Hofmeister, Pedro Papini e Taís Seibt clicando aqui

Leia "Perdas internacionais" de Leda Maria Paulani clicando aqui

Leia "Municípios perdem um quinto dos médicos financiados pelo Governo federal após saída de cubanos" de Beatriz Jucá clicando aqui

Leia "A greve e o silêncio ensurdecedor da mídia" de Marcelo Auler clicando aqui

Leia "Economia: o fantasma da crise externa" de Leda Paulani clicando aqui

Leia "Aos pobres, a xepa" de Juliana Magalhães clicando aqui

Leia "Sobre a revolução cultural necessária I" de Pedro Tierra clicando aqui

Leia "A Frente Antifascista" de Licoln Secco clicando aqui

Leia "Busca por pós-graduação tem queda sem perspectiva de bolsa, segundo acadêmicos" de Grasielle Castro clicando aqui

Leia "Por que o Maranhão paga os melhores salários a professores no Brasil?" de Ana Luiza Basilio clicando aqui

Leia "Professora de inglês sofre processo disciplinar por falar sobre feminismo em cidade berço do MBL" de Felipe Betim clicando aqui

Leia "A arte em que a gente pisa" de Carlos Alberto Mattos clicando aqui

  © Blogger template 'Solitude' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP