quinta-feira, 9 de abril de 2020

"Sinto falta do seu corpo..." - Mariza Tavares

poème "Orgasmic" - Cosmos de Loëtiga


Sinto falta do seu corpo
Como se fosse meu.
Pernas
E braços em volta de mim
O cheiro tomando conta do quarto
Da minha pele
Da minha vida.

Mariza Tavares

José de Sousa Miguel Lopes: Para que serve a liberdade quando não há mais ninguém?

Homem mora sozinho em uma ilha do litoral de SP - G1 Santos ...

Nesse momento, cada homem é uma ilha, mas a conexão espiritual e solidária de todas essas ilhas faz um continente. O altruísmo é chamado a suplantar a loucura e a estupidez
Rosembreg Cariry 

Este pensamento de Cariry que vem no seu texto publicado hoje 09/04/2020, suscitou-me as breves reflexões abaixo:

Para que serve a liberdade quando não há mais ninguém?

José de Sousa Miguel Lopes

Na ilha deserta você pode fazer a sua casa na praia, com madeira de árvores centenárias e cantar bem alto às horas que lhe apetecer. Pode andar nu. Não há policiamento, áreas protegidas, vizinhos, impostos. A única lei que obriga você é a da sobrevivência, mas, se a ilha tiver fruta e galinhas selvagens, o mar livre de barcos de pesca assegurará uma rica e saudável dieta. Não casará e, por isso, não há contratos pré-nupciais a celebrar. Não tem nada para vender nem para comprar, o que dispensa você de todos os contratos de compra e venda. É rico – tem uma ilha inteira - mas não tem ninguém a quem deixar a sua riqueza: não precisa fazer testamento. Com quem vai discutir seus interesses? Com quem vai fazer acordos? Quem diz a você o que pode ou não pode fazer?
Um dia, porém, quando começava a estar farto de sua liberdade, outro náufrago chega à tua ilha. Já não é tua. Você tem duas hipóteses: ou faz um acordo com ele ou o mata, se for capaz. Mas, se o matar, você fica outra vez sozinho. O ideal é estabelecer regras que permitam a convivência pacífica e, sobretudo, permitam que cada um aproveite as capacidades e as aptidões do outro, porque como sabemos, não há duas pessoas iguais.
E, então, cada decisão sua que implique, de alguma forma, o outro, deve conformar-se com as regras da convivência. Um belo dia chega à ilha um terceiro habitante: o professor. Em breve virão as mulheres, as empresas, os barcos e os aviões, e você, vendo seus netos correrem na “sua” praia, continuará a perguntar a si próprio, sem encontrar resposta, para que serve a liberdade, quando não há mais ninguém.



O Brasil na geopolítica mundial da Covid-19 e do caos sistêmico

A superioridade dos sistemas socialistas para a gestão de um paradigma tecnológico intensivo em bens públicos vai se tornando de flagrante evidência mundial. Isso tende a se acentuar por conta das dificuldades das políticas keynesianas clássicas funcionarem em períodos recessivos de longa duração como o que provavelmente estamos ingressando. 
Para ler o texto de Carlos Eduardo Martins clique aqui

Leia "Filosofia, para desvendar o futuro que virá" de Renan Porto clicando aqui

Leia "Coronacrise é uma oportunidade de redesenhar rumo histórico das cidades brasileiras" de Ermínia Maricato clicando aqui

Leia "Para lidar com a China, tirem as crianças da sala" de Sergio Leo clicando aqui

Leia ""O presidente de um país não pode confrontar a ciência"" de João Soares e Felipe Salgado clicando aqui

Leia "A receita do "Dr." Bolsonaro transforma Brasil em cobaia" de Fernando Brito clicando aqui

Leia "Lava Jato pariu Bolsonaro e deveria ter a obrigação de embalá-lo, diz procurador federal" de Celso Três clicando aqui

Leia "Notas fiscais revelam superfaturamento de Bolsonaro em verba de combustível" de Lúcio de Castro clicando aqui

Leia "Renda do trabalhador cairá até 80% com MP que autoriza redução de salários" de Bia Barbosa clicando aqui

Leia "Redução de salários, em qualquer percentual, agrava a crise" de  Rubens Sawaya clicando aqui

Leia "Defender a democracia frente a conjugação de crises" de Pedro Tierra clicando aqui

Leia "Alinhamento ao negacionismo climático coloca em xeque soberania ambiental brasileira" de Leonardo Alexandre dos Santos clicando aqui

Leia "Conheça as campanhas que arrecadam dinheiro para populações indígenas em meio à pandemia" de Maíra Mathias e Ludmilla Balduino clicando aqui

Leia "Niterói, modelo brasileiro no combate à covid-19" de Bruno Lupion clicando aqui

Leia "Lições da pandemia de 1918 mostram que isolamento foi eficaz" de Eduardo Geraque clicando aqui

Alain Badiou: ''O marxismo pode salvar o mundo''

 

O filósofo francês - um dos mais traduzidos e influentes do mundo - avalia que o neoliberalismo falhou. "O capitalismo é baseado na competição e é incapaz de formar um governo mundial. É globalizado, mas a política não é. Continua nacional.
Os estados representam seus interesses e lutam pela hegemonia", aponta, em entrevista ao jornal alemão 'Frankfurter Allgemeine Zeitung' que pode ser lida clicando aqui

Leia "Boaventura de Sousa Santos: A sul da quarentena" clicando aqui

Leia "Uma amarga prévia da catástrofe do clima" de Sharon Zang clicando aqui

Leia "Quarentena, normalidade e o espectro de Toritama" de Claudio Medeiros e Victor Galdino clicando aqui

Leia "Sobre nossa finitude, as ameaças e o dinheiro" de George Monbiot clicando aqui

Leia "100 dias que mudaram o mundo" de Lilia Schwarcz clicando aqui

Leia "O dia seguinte" de Leila Guerriero clicando aqui

Leia "Vamos avançar juntos. A luta continua" de Jake Johnson clicando aqui

Leia "Bernie Sanders encerra campanha presidencial" de Ryan Grim clicando aqui

Leia "Hora de outro modelo: a economia feminista" de Graciela Rodriguez  clicando aqui

Leia "A violência de gênero é uma pandemia silenciosa" de Catalina Oquendo clicando aqui

Leia "Carta de Lisboa: O fraco mundo dos fortes" de José Manuel Pureza clicando aqui

Leia "Aí vem a grande ameaça de deflação" de Robert J. Samuelson clicando aqui

Leia "Neoliberalismos, ciência e saúde coletiva" de Rafael da Silveira Moreira clicando aqui

Leia "A ciência contra-ataca" de Beatriz Correia, Felipe Serrano e Rodrigo Caetano clicando aqui

Leia "Ciência em tempos de pandemia" de Carlos Fiolhais clicando aqui

Leia "Resiliência ou adaptação: dilema pós-coronavírus" de Lucas M. Aguiar e Gisele Ricobom clicando aqui

Leia "Itália: "Antes, a corrida era por armamento bélico; agora, é por material hospitalar"" de Lucas Ferraz clicando aqui

Leia "Cônsul de Cuba: saúde não é mercadoria" de Eleonora de Lucena e Rodolfo Lucena clicando aqui

Leia "Covid-19, o ''solucionismo'' não é a solução" de Evegeny Morozov clicando aqui

Leia "Coronavírus: ''É o momento de reconstruir um contrato social e tributário mais justo''" clicando aqui

Leia "A pandemia provocou uma queda de 7% no emprego em todo o mundo" de Manuel V. Gomes clicando aqui

Leia "Décadas de poluição atmosférica pesada podem aumentar número de mortes por COVID-19 em algumas áreas, diz estudo" de Julia Conley clicando aqui

Leia "Resistir ao isolamento: faça como os exploradores polares" clicando aqui

Leia "Homework: como se organizar para trabalhar na quarentena" de Luis Pellegrini clicando aqui

Leia "Como fazer um assassino" de Manuel Soares clicando aqui




HAUSER - "Piano Concerto No. 21 (Mozart)"

HAUSER - Piano Concerto No. 21 (Mozart) - YouTube

Para assistir à interpretação de "Piano Concerto No. 21 (Mozart)" por Hauser clique no vídeo aqui

Cinema em casa em tempos de coronavírus (VI)


A semana é movimentada com duas novidades notáveis: a estréia, amanhã, para assistir em casa, do mais recente trabalho de Roman Polanski, O oficial e o espião, e o mais novo filme do britânico Ken Loach, Você não estava aqui, também em plataforma digital. Cartazes assinados por dois gigantes do cinema que merecem ser vistos não apenas pela sua alta voltagem mas também pela atualidade. No primeiro caso, o relato de como se pode destruir a vida de alguém julgado em regime de lawfare, tão familiar a nós, no Brasil, com a farsa da Lava jato: ver o caso do julgamento do presidente Lula. E com Loach, o libelo contra a uberização e a desqualificação do trabalho, no mundo, e o exército crescente de homens e mulheres, os invisíveis, que operam por sua conta e risco tentando fugir do desemprego que rapidamente se torna endêmico no mundo neocapitalista. 
Para ler o texto de Léa Maria Aarão Reis clique aqui



Filmes para escrachar os tiranos e seus delírios 

Grotescos, sanguinários e com delírios de grandeza, alguns dos “ditadores de celulóide” parecem ter saído de esquetes humorísticas — ou até da nossa política. Na seleção, afiadas sátiras de Charles Chaplin, Glauber Rocha e Baron Cohen. 
Para ler o texto e sugestões de filmes de José Geraldo Couto clique aqui

Como vai o seu amor?

Semana: "Como vai o seu amor?" — Gama Revista

Uma entrevista com a criadora do termo slow love e com uma especialista em casamento, uma reportagem sobre amor político, depoimentos e dicas culturais. Tudo para entender o amor hoje. 
Para acessar clique aqui

212 LIVROS grátis (para download)

CORES & PALAVRAS: 212 LIVROS GRÁTIS PARA DOWNLOAD

É só clicar no título para ler ou imprimir

1.   A Divina Comédia -Dante Alighieri
2.   A Comédia dos Erros -William Shakespeare
3.   Poemas de Fernando Pessoa -Fernando Pessoa
4.   Dom Casmurro -Machado de Assis
5.   Cancioneiro -Fernando Pessoa
6.   Romeu e Julieta -William Shakespeare
7.   A Cartomante -Machado de Assis
8.   Mensagem -Fernando Pessoa
9.   A Carteira -Machado de Assis
10.          A Megera Domada -William Shakespeare
11.          A Tragédia de Hamlet, Príncipe da Dinamarca -William Shakespeare
12.          Sonho de Uma Noite de Verão -William Shakespeare
13.          O Eu profundo e os outros Eus. -Fernando Pessoa
14.          Dom Casmurro -Machado de Assis
15.          Do Livro do Desassossego -Fernando Pessoa
16.          Poesias Inéditas -Fernando Pessoa
17.          Tudo Bem Quando Termina Bem -William Shakespeare
18.          A Carta -Pero Vaz de Caminha
19.          A Igreja do Diabo -Machado de Assis
20.          Macbeth -William Shakespeare
21.          Este mundo da injustiça globalizada -José Saramago
22.          A Tempestade -William Shakespeare
23.          O pastor amoroso -Fernando Pessoa
24.          A Cidade e as Serras -José Maria Eça de Queirós
25.          Livro do Desassossego -Fernando Pessoa
26.          A Carta de Pero Vaz de Caminha -Pero Vaz de Caminha
27.          O Guardador de Rebanhos -Fernando Pessoa
28.          O Mercador de Veneza -William Shakespeare
29.          A Esfinge sem Segredo -Oscar Wilde
30.          Trabalhos de Amor Perdidos -William Shakespeare
31.          Memórias Póstumas de Brás Cubas -Machado de Assis
32.          A Mão e a Luva -Machado de Assis
33.          Arte Poética -Aristóteles
34.          Conto de Inverno -William Shakespeare
35.          Otelo, O Mouro de Veneza -William Shakespeare
36.          Antônio e Cleópatra -William Shakespeare
37.          Os Lusíadas -Luís Vaz de Camões
38.          A Metamorfose -Franz Kafka
39.          A Cartomante -Machado de Assis
40.          Rei Lear -William Shakespeare
41.          A Causa Secreta -Machado de Assis
42.          Poemas Traduzidos -Fernando Pessoa
43.          Muito Barulho Por Nada -William Shakespeare
44.          Júlio César -William Shakespeare
45.          Auto da Barca do Inferno -Gil Vicente
46.          Poemas de Álvaro de Campos -Fernando Pessoa
47.          Cancioneiro -Fernando Pessoa
48.          Catálogo de Autores Brasileiros com a Obra em Domínio Público -Fundação Biblioteca Nacional
49.          A Ela -Machado de Assis
50.          O Banqueiro Anarquista -Fernando Pessoa
51.          Dom Casmurro -Machado de Assis
52.          A Dama das Camélias -Alexandre Dumas Filho
53.          Poemas de Álvaro de Campos -Fernando Pessoa
54.          Adão e Eva -Machado de Assis
55.          A Moreninha -Joaquim Manuel de Macedo
56.          A Chinela Turca -Machado de Assis
57.          As Alegres Senhoras de Windsor -William Shakespeare
58.          Poemas Selecionados -Florbela Espanca
59.          As Vítimas-Algozes -Joaquim Manuel de Macedo
60.          Iracema -José de Alencar
61.          A Mão e a Luva -Machado de Assis
62.          Ricardo III -William Shakespeare
63.          O Alienista -Machado de Assis
64.          Poemas Inconjuntos -Fernando Pessoa
65.          A Volta ao Mundo em 80 Dias -Júlio Verne
66.          A Carteira -Machado de Assis
67.          Primeiro Fausto -Fernando Pessoa
68.          Senhora -José de Alencar
69.          A Escrava Isaura -Bernardo Guimarães
70.          Memórias Póstumas de Brás Cubas -Machado de Assis
71.          A Mensageira das Violetas -Florbela Espanca
72.          Sonetos -Luís Vaz de Camões
73.          Eu e Outras Poesias -Augusto dos Anjos
74.          Fausto -Johann Wolfgang von Goethe
75.          Iracema -José de Alencar
76.          Poemas de Ricardo Reis -Fernando Pessoa
77.          Os Maias -José Maria Eça de Queirós
78.          O Guarani -José de Alencar
79.          A Mulher de Preto -Machado de Assis
80.          A Desobediência Civil -Henry David Thoreau
81.          A Alma Encantadora das Ruas -João do Rio
82.          A Pianista -Machado de Assis
83.          Poemas em Inglês -Fernando Pessoa
84.          A Igreja do Diabo -Machado de Assis
85.          A Herança -Machado de Assis
86.          A chave -Machado de Assis
87.          Eu -Augusto dos Anjos
88.          As Primaveras -Casimiro de Abreu
89.          A Desejada das Gentes -Machado de Assis
90.          Poemas de Ricardo Reis -Fernando Pessoa
91.          Quincas Borba -Machado de Assis
92.          A Segunda Vida -Machado de Assis
93.          Os Sertões -Euclides da Cunha
94.          Poemas de Álvaro de Campos -Fernando Pessoa
95.          O Alienista -Machado de Assis
96.          Don Quixote. Vol. 1 -Miguel de Cervantes Saavedra
97.          Medida Por Medida -William Shakespeare
98.          Os Dois Cavalheiros de Verona -William Shakespeare
99.          A Alma do Lázaro -José de Alencar
100.       A Vida Eterna -Machado de Assis
101.       A Causa Secreta -Machado de Assis
102.       14 de Julho na Roça -Raul Pompéia
103.       Divina Comedia -Dante Alighieri
104.       O Crime do Padre Amaro -José Maria Eça de Queirós
105.       Coriolano -William Shakespeare
106.       Astúcias de Marido -Machado de Assis
107.       Senhora -José de Alencar
108.       Auto da Barca do Inferno -Gil Vicente
109.       Noite na Taverna -Manuel Antônio Álvares de Azevedo
110.       Memórias Póstumas de Brás Cubas -Machado de Assis
111.       A 'Não-me-toques'! -Artur Azevedo
112.       Os Maias -José Maria Eça de Queirós
113.       Obras Seletas -Rui Barbosa
114.       A Mão e a Luva -Machado de Assis
115.       Amor de Perdição -Camilo Castelo Branco
116.       Aurora sem Dia -Machado de Assis
117.       Édipo-Rei -Sófocles
118.       O Abolicionismo -Joaquim Nabuco
119.       Pai Contra Mãe -Machado de Assis
120.       O Cortiço -Aluísio de Azevedo
121.       Tito Andrônico -William Shakespeare
122.       Adão e Eva -Machado de Assis
123.       Os Sertões -Euclides da Cunha
124.       Esaú e Jacó -Machado de Assis
125.       Don Quixote -Miguel de Cervantes
126.       Camões -Joaquim Nabuco
127.       Antes que Cases -Machado de Assis
128.       A melhor das noivas -Machado de Assis
129.       Livro de Mágoas -Florbela Espanca
130.       O Cortiço -Aluísio de Azevedo
131.       A Relíquia -José Maria Eça de Queirós
132.       Helena -Machado de Assis
133.       Contos -José Maria Eça de Queirós
134.       A Sereníssima República -Machado de Assis
135.       Iliada -Homero
136.       Amor de Perdição -Camilo Castelo Branco
137.       A Brasileira de Prazins -Camilo Castelo Branco
138.       Os Lusíadas -Luís Vaz de Camões
139.       Sonetos e Outros Poemas -Manuel Maria de Barbosa du Bocage
141.       Anedota Pecuniária -Machado de Assis
142.       A Carne -Júlio Ribeiro
143.       O Primo Basílio -José Maria Eça de Queirós
144.       Don Quijote -Miguel de Cervantes
145.       A Volta ao Mundo em Oitenta Dias -Júlio Verne
146.       A Semana -Machado de Assis
147.       A viúva Sobral -Machado de Assis
148.       A Princesa de Babilônia -Voltaire
149.       O Navio Negreiro -Antônio Frederico de Castro Alves
150.       Catálogo de Publicações da Biblioteca Nacional -Fundação Biblioteca Nacional
151.       Papéis Avulsos -Machado de Assis
152.       Eterna Mágoa -Augusto dos Anjos
153.       Cartas D'Amor -José Maria Eça de Queirós
154.       O Crime do Padre Amaro -José Maria Eça de Queirós
155.       Anedota do Cabriolet -Machado de Assis
156.       Canção do Exílio -Antônio Gonçalves Dias
157.       A Desejada das Gentes -Machado de Assis
158.       A Dama das Camélias -Alexandre Dumas Filho
159.       Don Quixote. Vol. 2 -Miguel de Cervantes Saavedra
160.       Almas Agradecidas -Machado de Assis
161.       Cartas D'Amor - O Efêmero Feminino -José Maria Eça de Queirós
162.       Contos Fluminenses -Machado de Assis
163.       Odisséia -Homero
164.       Quincas Borba -Machado de Assis
165.       A Mulher de Preto -Machado de Assis
166.       Balas de Estalo -Machado de Assis
167.       A Senhora do Galvão -Machado de Assis
168.       O Primo Basílio -José Maria Eça de Queirós
169.       A Inglezinha Barcelos -Machado de Assis
170.       Capítulos de História Colonial (1500-1800) -João Capistrano de Abreu
171.       CHARNECA EM FLOR -Florbela Espanca
172.       Cinco Minutos -José de Alencar
173.       Memórias de um Sargento de Milícias -Manuel Antônio de Almeida
174.       Lucíola -José de Alencar
175.       A Parasita Azul -Machado de Assis
176.       A Viuvinha -José de Alencar
177.       Utopia -Thomas Morus
178.       Missa do Galo -Machado de Assis
179.       Espumas Flutuantes -Antônio Frederico de Castro Alves
181.       Hamlet -William Shakespeare
182.       A Ama-Seca -Artur Azevedo
183.       O Espelho -Machado de Assis
184.       Helena -Machado de Assis
185.       As Academias de Sião -Machado de Assis
186.       A Carne -Júlio Ribeiro
187.       A Ilustre Casa de Ramires -José Maria Eça de Queirós
188.       Como e Por Que Sou Romancista -José de Alencar
189.       Antes da Missa -Machado de Assis
190.       A Alma Encantadora das Ruas -João do Rio
191.       A Carta -Pero Vaz de Caminha
192.       LIVRO DE SÓROR SAUDADE -Florbela Espanca
193.       A mulher Pálida -Machado de Assis
194.       Americanas -Machado de Assis
195.       Cândido -Voltaire
196.       Viagens de Gulliver -Jonathan Swift
197.       El Arte de la Guerra -Sun Tzu
198.       Conto de Escola -Machado de Assis
199.       Redondilhas -Luís Vaz de Camões
200.       Iluminuras -Arthur Rimbaud
201.       Schopenhauer -Thomas Mann
202.       Carolina -Casimiro de Abreu
203.       A esfinge sem segredo -Oscar Wilde
204.       Carta de Pero Vaz de Caminha. -Pero Vaz de Caminha
205.       Memorial de Aires -Machado de Assis
206.       Triste Fim de Policarpo Quaresma -Afonso Henriques de Lima Barreto
207.       A última receita -Machado de Assis
208.       7 Canções -Salomão Rovedo
209.       Antologia -Antero de Quental
210.       O Alienista -Machado de Assis
211.       Outras Poesias -Augusto dos Anjos
212Alma Inquieta -Olavo Bilac

  © Blogger template 'Solitude' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP