quarta-feira, 17 de julho de 2019

"Nos teus gestos..." - Joaquim Pessoa

Resultado de imagem para "Nos teus gestos..." - Joaquim Pessoa


Nos teus gestos...

Nos teus gestos há animais em liberdade
e o brilho doce que só têm as cerejas.
É neles que adormeço, e dos teus dedos
retiro a luz azul dos arquipélagos.

Os teus gestos são letras, sílabas, poemas.
Os teus gestos são páginas inteiras. São
a tua boca a namorar na minha boca,
o cio dos séculos a saudar o tempo.

São os teus gestos que me acordam. Gestos
que vestem o silêncio fundo das ravinas
e assinalam a água dos desertos.

Os teus gestos são música. São lume.
São a respiração do teu olhar. A seara
de espigas que ondula no meu corpo.

Joaquim Pessoa

ELIANE BRUM: "Empresários não podem ser batedores de carteiras"

O empresário Jorge Hoelzel Neto colhendo o látex da seringueira na Terra do Meio (Pará), na Amazônia.
O empresário Jorge Hoelzel Neto colhendo o látex da seringueira na Terra do Meio (Pará), na Amazônia

Respeitado por povos da floresta amazônica, o industrial Jorge Hoelzel Neto é um exemplo que o Brasil precisa enxergar com urgência. 

Para ler o texto completo de Eliane Brum e ler a entrevista com Jorge Hoelzel Neto clique aqui


Leia "Entrevista: 'A esquerda não deve fugir do tema da corrupção', diz Flavio Dino" clicando aqui

Leia "A fraqueza da ilusão democrática: um ensaio político não sentimental" de Jones Manoel clicando aqui

Leia "Doentes e violentos. Treze ideias erradas sobre o excesso de população" clicando aqui

Leia "Por que a terra de Moro e Dallagnol é tão conservadora e antipetista?" de Thais Reis Oliveira clicando aqui

Leia "7 motivos comprovam que vivemos em um Brasil demente" de Rui Daher clicando aqui

Leia "Estratégia do "reina, mas não governa" permite à direita domesticar Bolsonaro" de Carlos Castilho clicando aqui

Leia "O que expõe a Vaza Jato" de Carlos Alberto Mattos clicando aqui

Leia "O sistema de Justiça e os órgãos de controle - o corporativismo como método no CNJ e CNMP" de Tânia Maria de Oliveira clicando aqui

Leia "Um presidente retrógrado, que acelera o retrocesso" de Eric Nepomuceno clicando aqui

Leia "Ilude-se quem vislumbra vida curta de Bolsonaro no governo" de  Marcos Coimbra clicando aqui

Leia "Trama de uma guerra declarada" de Mauricio Stycer clicando aqui

Leia "A renovada dependência e a transição autoritária brasileira" de José Raimundo Trindade clicando aqui

Leia "Decisão de Bolsonaro sobre agrotóxicos é política e extremamente preocupante" de Nádia Pontes clicando aqui

Leia "Universidades: a "nova" estratégia do governo" de Maria Caramez Carlotto clicando aqui

Leia "Depoiementos de 4 ex-ministros de Ciência e Tecnologia" clicando aqui

Leia "Por uma Reforma Tributária Solidária" de Paulo Kliass clicando aqui

Leia "Ainda sobre a Flip: talvez o mundo realmente esteja mudando" de  Clarissa Wolff clicando aqui

Leia "Amazônia sem lei" clicando aqui

Leia "Campeão de mortes no campo" de Eduardo Carvalho clicando aqui

Leia "Tupi: Uma história de coragem e determinação indígena" de Francesc Badia clicando aqui

Leia "Território de comunidades geraizeiras em Minas é invadido por transmissora de energia" de Priscilla Arroyo clicando aqui

Leia "Trabalho na Uber é neofeudal, diz estudo. "São empreendedores de si mesmo proletarizados"" de Marco-Weissheimer clicando aqui

Assista ao"VÍDEO: O palhaço, o traficante e a Medellín que se reinventa" de Célio Turino clicando aqui

Leia "Sebastião Salgado: Mineração, ouro e fotografia" de Victor Moryiama clicando aqui

Leia "João Gilberto: Um caminho secreto" de Antonio Muñoz Molina clicando aqui

Tecnologia, Ignorância e Violência


Ao ambicionar o domínio da natureza, ciência ocidental abriu caminho para o controle das sociedades; e ao perseguir obsessivamente a informação, produziu a explosão da ignorância. É preciso buscar as origens filosóficas deste paradoxos. 
Para ler o texto completo de Pablo Rúben Mariconda clique aqui

Leia "A necropolítica como regime de governo" de Debora Diniz e Giselle Carino clicando aqui

Leia "EUA. Angústia, pânico, discussões e resistência diante das prisões de migrantes" de Mirko C. Trudeau clicando aqui

Leia "A perseguição aos imigrantes" de Lidia Falcón clicando aqui

Leia "O aparente paradoxo das manifestações ao redor do mundo" de Helder Lara Ferreira Filho e José Luis da Costa Oreiro clicando aqui

Leia "Um ano desde o início da guerra comercial EUA-China: Guerras, tréguas e danos" de Jorge Eduardo Navarrete clicando aqui

Leia "Não caia no 'greenwashing': a Shell ainda é uma máquina mortífera planetária" de George Monbiot clicando aqui


Johnny Clegg, cantor e ativista sul-africano, morre aos 66 anos

Johnny Clegg se apresentando na Cidade do Cabo em 2017.

Cantor indicado ao Grammy, um dos poucos artistas brancos a confrontar abertamente o regime do apartheid
Para ler o texto completo clique aqui


Johnny Clegg (2010)
Imagem relacionada

Para assistir à interpretação de “Asimbonanga” – 1999 na voz de Johnny Clegg (com Nelson Mandela) clique aqui


Por que Susan Sontag deixou que o ex-marido roubasse parte de seu trabalho e obra?

Sontag em 1972.

Nova biografia confirma que foi ela quem escreveu, ao menos em grande parte, uma das principais obras do sociólogo Philip Rieff. 

Para ler o texto completo de Berta Gómez Santo Tomás clique aqui

"Os negros que nascem em Portugal são estrangeiros no seu próprio país"


Beatriz Dias ocupa o 3.º lugar na lista do Bloco de candidatos e candidatas por Lisboa às eleições legislativas. A ser eleita, a ativista priorizará a agenda anti-racista que “é muito ampla”, existindo “tantas mudanças para concretizar”. 
Para ler o texto completo clique aqui


Nu sta djuntu ou uma política de amor revolucionário


Para cumprir com a sua missão assume primeiramente a sua condição de mulher indígena, branca, detentora de certos privilégios. Ao reconhecer esta cumplicidade afirma “sou uma criminosa que subcontrata o seu crime”. Através de uma série de exemplos nomeia os privilégios, da macro à microestrutura, que fazem dos corpos que habitam a “colônia interna da metrópole” meros objetos ao dispor da “boa consciência branca”.
Para ler o texto completo de Apolo de Carvalho clique aqui


Maria Fátima Bonifácio e o seu (des)amor ao próximo 


Em Coimbra, era opinião corrente que apenas em último caso, quando os quartos bolorentos ficavam em prédios em ruínas e demoravam a arrendar, então as senhorias e os senhorios abriam uma exceção a estudantes africanos (gente de cor, como diziam), alegando que tardavam ou se esqueciam de pagar a renda, que gastavam muita água por causa do banho e muita luz devido à música, que faziam rebuliço até altas horas da noite e que davam muitas festas.
Para ler o texto completo de Eurídice Monteiro clique aqui


Pós-capitalismo na era do algoritmo (2)


Salvador Allende queria a informática em favor do planejamento estatal. As corporações empregam-na para o lucro e a desigualdade. Um socialismo renovado seria desafiado a utilizá-la para superar o mercado e a alienação. 
Para ler o texto completo de Cedric Durand e Razmig Keucheyan clique aqui

  © Blogger template 'Solitude' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP