terça-feira, 14 de julho de 2020

"Torre azul" - Mario Quintana

MARIO QUINTANA: TORRE AZUL


Torre azul

É preciso construir uma torre
- uma torre azul para os suicidas.
Têm qualquer coisa de anjo esses suicidas voadores,
qualquer coisa de anjo que perdeu as asas.
É preciso construir-lhes um túnel
- um túnel sem fim e sem saída
e onde um trem viajasse eternamente
como uma nave em alto-mar perdida.
É preciso construir uma torre…
É preciso construir um túnel…
É preciso morrer de puro,
puro amor!…

Mario Quintana

O tripé nefasto que sustenta um governo capenga


Em meio à crise, apoio ao presidente despenca. Mas capital financeiro e militares ainda escoram governo, amortecendo turbulências. Centrão é convidado compor o grupo e evitar impeachment. O político antissistema vai sendo desmascarado… 
Para ler o texto de Paulo Kliass clique aqui

Leia "Valerio Arcary: A Globo e o PT" clicando aqui

Leia "Governo brasileiro praticou política suicida com relação à pandemia, diz Drauzio Varella" clicando aqui

Leia "Falta de investimento na infância é uma tragédia no Brasil" de Mário Volpi clicando aqui

Leia "No Brasil, a barbárie foi incorporada no cotidiano" de Guilherme Boulos clicando aqui

Leia "A atuação das mineradoras na pandemia de covid-19" de Entrevista com Bruno Milanez clicando aqui

Leia "Não se combate covid sem as ciências sociais, diz Paulo Saldiva" clicando aqui

Leia "Difamação, negacionismo e a volta do Dirceu Borboleta" de Thomas Lewinsohn clicando aqui

Leia "Como a imprensa pode melhor servir a uma sociedade democrática?" de Michael Luo clicando aqui

Leia "Explodem os crimes da polícia, em meio à pandemia" clicando aqui

Leia "O controle sobre a violência da PM é uma piada. E o MP é cúmplice" de Cecília Olliveira clicando aqui

Leia "Ou assina ou pula fora!" de Invisíveis clicando aqui

Leia "Agronegócio pode ter infectado 400 mil trabalhadores no Brasil por Covid-19" de Mariana Franco Ramos clicando aqui

Leia "O movimento dos entregadores" de Andréia Galvão clicando aqui

Leia "No futebol, uma síntese do racismo brasileiro" de Inês Castilho clicando aqui

Leia "Privatização da água: o mau exemplo de São Paulo" de Pagu Rodrigues clicando aqui

Leia "Rastros da felicidade" de Tarso Genro clicando aqui

Leia "Sartre e o golpe de 64: o Brasil entre os interesses da burguesia" de Lucas Rodrigues da Fonseca Lopes clicando aqui

Leia "A bolsa da linguagem" de Flavio Aguiar clicando aqui

Leia "Caixa de ressonância" de Carlos Alberto Mattos clicando aqui

Silvia Federici quer ir além das fronteiras do corpo


Em novo livro, ela aprofunda as reflexões de “Calibã e a Bruxa”. Sustenta que o corpo, terreno original de exploração das mulheres pelo capitalismo, pode ser também lugar de resistência e de transformação — material e simbólica — do mundo. 
Para ler o texto de Mara Montanaro clique aqui

Leia "Um Neoliberalismo antiglobalista e iliberal" de Pierre Dardot clicando aqui

Leia "O desenraizamento da democracia" de Antônio Sales Rios Neto clicando aqui

Leia "Um coro de multidões apoia outorga de Nobel da Paz à Brigada Médica Cubana Henri Reeves" de Gustavo Espinoza M. clicando aqui

Leia "Manipulados e manipuladores" de Léa Maria Aarão Reis clicando aqui

Leia "Para resolver a questão palestina precisamos pôr fim ao colonialismo" de Wesam Ahmad clicando aqui

Leia "O novo velho continente e suas contradições: Um século curto demais. A resistência" de Celso Japiassu clicando aqui

Leia "A escolha de Erdogan abre uma séria brecha na aliança com Putin" Entrevista com Olivier Roy clicando aqui

Leia "'Era como uma bomba relógio': como o ICE ajudou a disseminar o coronavírus" de Emily Cassie e Barbara Marcolini clicando aqui

Leia "Cultura inútil: Sucesso! Cadê ele?" de Mouzar Benedito clicando aqui

Chris Isaak - "Wicked Game"

Chris Isaak - Wicked Game | subtitulada - YouTube

Para assistir à interpretação de "Wicked Game" na voz de Chris Isaak clique no vídeo aqui

Alerta geral: presidente "mais perigoso" da história moderna dos EUA está fora de controle


Com a economia e a saúde pública fora de controle, as ações de Donald Trump tornam-se cada vez mais alarmantes. 
Para ler o texto de David Brooks clique aqui


Como EUA fabricaram o "marxismo cultural"

No Documento de Santa Fé, de 1988, novo intervencionismo dos EUA: infiltrar-se em instituições latino-americanas, alegando combater subversão. Coopta parte do Exército, Judiciário e das elites — receituário que retorna com Bolsonaro. 
Para ler o texto de Lincoln Barros clique aqui


Uma reunião entre o presidente venezuelano Nicolás Maduro e Joe Biden, como a ocorrida em janeiro de 2015, dificilmente se repetirá se Biden vencer as eleições noe EUA (AP)

Biden e Trump sobre a Venezuela: dois lados da mesma moeda

Biden possui a mesma política e retórica usadas pela administração Trump. 
Para ler o texto de Leonardo Flores clique aqui

(Arvell Dorsey Jr.)

Os EUA e o Reino Unido são uma bola de demolição contra os pilares do internacionalismo

Em 9 de janeiro de 2020, a embaixadora Karen Pierce – representante permanente do Reino Unido na ONU – falou em uma reunião sobre a Carta da ONU. “Ninguém poderia acusar os membros fundadores de falta de ambição quando fizeram o rascunho da Carta”, disse a embaixadora Pierce. “Mas, às vezes, a ONU sofreu com uma brecha, por vezes insuperável, entre o poder da sua visão central e as ações reais que conseguiu conduzir.” A embaixadora disse que não quis dizer somente que as agências da ONU falharam, mas que também os estados membros falharam. A carta de 1945, ela disse, “deixa bem claro a ênfase na cooperação dos estados, para harmonizar ações e alcançar fins comuns”. 
Para ler o texto de Vjay Prashad clique aqui




Não se assuste, eles são só 0,0167%

A fortuna dos mais ricos deixa de ser tabu nos EUA | Economia | EL ...

Provocou alguma comoção que um grupo de 83 multimilionários tivesse apelado a que seja aplicado um imposto sobre as fortunas para financiar a resposta à covid. É caso para tanto. Pedem um imposto “imediato, substancial e permanente”, escrevem que não querem doar à caridade, pois preferem que sejam os Estados a receber a coleta e a aplicá-la segundo as prioridades da saúde pública, e que a razão é simples: “temos dinheiro, montes dele”, e é preciso para os serviços médicos. Tudo boas razões. 
Para ler o texto de Francisco Louçã clique aqui

Visualidade das políticas de memória públicas: caso de Padre António Vieira

Estátua do Padre António Vieira pichada com a frase, 'Fuck colonialism', em 2019.

O assassinato de George Floyd por parte da polícia desencadeou manifestações e intervenções por parte daqueles e daquelas que observaram (massiva e viralmente através do suporte de vídeo) a barbaridade e impunidade das forças da autoridade. Episódios como este - em que o abuso de autoridade é exercido - têm vindo a ocorrer ao longo dos tempos apesar de nem sempre despertarem movimentos globais da dimensão do atual. Poder-se-á então dizer que este assassinato comportou a última gota no copo de água já por si tempestuoso? 
Para ler o texto de Carolina Ferreira Mourão clique aqui

  © Blogger template 'Solitude' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP