quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Adeus, docência

Fernando Benega
Baixos salários, insatisfação no trabalho, desprestígio profissional. As condições são velhas conhecidas dos docentes, mas têm se convertido em um fenômeno que torna ainda mais preocupante a escassez de profissionais na Educação Básica: os professores têm deixado a sala de aula para se dedicar a outras áreas, como a iniciativa privada ou a docência no ensino superior.
Até maio deste ano, pediram exoneração 101 professores da rede pública estadual do Mato Grosso, 63 em Sergipe, 18 em Roraima e 16 em Santa Catarina. No Rio de Janeiro, a média anual é de 350 exonerações, segundo a Secretaria de Estado da Educação, sem discernir quantas dessas são a pedido. Mas a União dos Professores Públicos no Estado diz que, apenas nos cinco primeiros meses deste ano, 580 professores abandonaram a carreira (leia mais na página 43). Para completar o quadro, a procura pelas licenciaturas como um todo segue diminuindo, e a falta de interesse pela docência provoca a escassez de profissionais especialmente em disciplinas das ciências exatas e naturais.
Para ler o texto completo de Rodnei Corsini clique aqui

1 comentários:

candida lima 31 de agosto de 2013 01:03  

Estive a ler com atencao este assunto.Foi pena nao o ter lido quando ainda era professora e estava no ativo.Bom sempre no entanto estar atualizada.

  © Blogger template 'Solitude' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP